Blog

FinDom me Mistress, I beg you!

Olá meus escravos, bitches e submissos desesperad@s. Aqui estou para escrever um pouco mais sobre como vocês podem ser úteis para a vossa Deusa, Eu!

Em breve mais posts virão sobre os meus fetiches mais interessantes. Desta vez escolhi falar sobre Dominação Financeira.
Já que alguns não compreendem o facto de uma mulher se sentir uma Deusa adorada e horny a receber dinheiro. Talvez não o consigam admitir para eles mesmos. E o lado do submisso que se sente prestável no melhor que consegue fazer, providenciar a vida de Rainha a uma.

Quem me conheceu em pessoa sabe que tenho um prazer enorme em receber os vossos tributos.
Adoro ver o meu escravo de joelhos e cabeça baixa a entregar-me o dinheiro do seu árduo trabalho. Para mim, é uma grande demonstração de submissão, a entrega de um dos bens mais preciosos de um escravo, a mim!

Muitas vezes este ato vem com a entrega física também. Embora os meus submissos financeiros online não o possam sentir da mesma forma. Muitos entregam-me o seu bem precioso por alguns momentos online comigo.
Claro que adoro a sensação! Quem não gostaria de se sentir valorizado pelo seu tempo e atenção? E quem não gostaria de sentir que o seu trabalho árduo o leva um sentimento de valor e utilidade para alguém como eu?

Já os meus submissos financeiros em pessoa, tomam muitas formas e feitios. Alguns em castidade prolongada e sob o meu controlo, não há orgasmo nem masturbação sem o meu consentimento. O poder de decidir o que fazer com os vossos desejos sexuais é algo que me faz sentir aquilo que sou, dominadora e controladora. Outros preferem oferecer-me prendas das minhas wishlists ou em sessões de centro comercial. Adoro carregar o meu submisso de sacos, fazê-lo comprar as minhas cuequinhas, os meus sapatos… e melhor! Deixa-lo à porta da loja como um cachorro. Apenas chama para fazer o pagamento.

Como já sabem sou detalhista e sei que todos os pormenores das experiências que proporciono vos fazem sentir realmente prestáveis e realizados. E claro que adoro o facto de isso contribuir para o meu bem-estar e vida de Rainha! O mínimo que mereço por dedicar do meu tempo e do meu intelecto a fazer da vossa vida um pouco menos monótona, e muitas vezes por transforma-la por completo!

Os modelos de FinDom que pratico variam de sub para sub.
Alguns são escravos sem compromisso, outros entregam à sua Rainha todos os seus dados e assinam um contrato comigo com clausulas previamente negociadas entre os dois.

O não cumprimento das regras estipuladas tem os seus custos, literalmente, assim como castigos.

Para quem não se vê como um submisso financeiro, pensem duas vezes.
O facto de pagarem pelo meu tempo para estar comigo, é serem meus submissos, até na carteira. Não é diferente da vossa conta da luz ou do seguro do carro.
Vocês querem, vocês fazem o que têm que fazer para conseguir chegar até mim.

E é assim que adoro ser Deusa.

O Conscious Kink: a minha abordagem ao fétiche consciente e como transforma o individuo.

O que é entendido por fetiche consciente difere de indivíduo para indivíduo, talvez tão diferente como cada fetiche de cada individuo.

Na sua essência o conceito aponta a que exista consciência sobre os fetiches que temos, e os que estão ou vão ser abordados e postos à prova.

Ter consciência sobre aquilo que nos faz sentir qualquer que seja a emoção, desde prazer, desejo, a total desconforto.

O facto de ter consciência sobre as sensações, permite todo o processo de transformação se inicie. Não apenas numa mera experiência, mas numa ligação que interiorizamos e levamos connosco para o nosso dia-a-dia. Tornamos a convivência connosco mesmos mais fácil. E a partir daí tudo na nossa vida começa por se transformar.

~

Eu sou da opinião que há gostos para tudo e malucos para gostar de toda e qualquer coisa. A sexualidade é um dos maiores exemplos.
É bastante vasta, diria infinita a diversidade de desejos e fetiches na comunidade que o BDSM engloba. Há parceiros para todas as vontades, assim como existem Dominadoras/es aptos a proporcionar vastas e diversas experiências aos submissos que se entregam totalmente à figura superior.

O Conscious Kink basea-se na premissa de um individuo querer estar totalmente consciente do momento presente, todas as sensações, emoções, pensamentos, desejos, etc. Totalmente aberto à experiência do momento presente. O objectivo de muitos em meditação, ou em muitos outros campos do auto-desenvolvimento.
Ao entregar-se consciente e voluntariamente à figura superior, o submisso expande a sua consciência sobre si mesmo no mundo ou situação em que se encontra. A obedecer às regras que lhe são impostas, este consegue fazer a transposição para o seu dia-a-dia, trazendo consciência a si mesmo para melhor operar no dia-a-dia. Tornando a sua vida, e a sua satisfação interna, melhor.

Como já escrevi noutros carnavais, sou praticante de Tantra, Reiki e outras práticas e terapias alternativas. Naturalmente comparo todos os ramos de estudo e acabo por cruzar algumas similaridades entre eles.
Falando de Tantra e BDSM/Kink, ambas são abordagens à sexualidade humana. Como duas faces da mesma moeda, o Yin e Yang. Uma tem maior foco nas sensações mais delicadas e suaves que o corpo consegue sentir, muitas vezes chegando ao extremo de não existir qualquer toque sexual, e mesmo assim, pela própria força|energia sexual ser possível provocar e sentir o maior orgasmo da tua vida! Magia para quem ouve falar apenas, eu sei.


A outra, também te leva aos maiores orgasmos da tua vida! Mas trata maioritariamente o oposto.

O BDSM explora também as sensações mais suaves que podemos sentir no nosso corpo e as tremendas sensações que elas causam. Ao contrário do Tantra que não terá uma vertente d@ Terapeuta, ou parceir@, a colocar uma mordaça ao recetivo ou a praticar uma bela de uma Chuva Dourada na testa de um dito cujo (não, que eu saiba…). Existem muitas formas de recriar as mesmas sensações por meios bem diferentes.

A exploração no BDSM consegue ser bem completa, à sua maneira, talvez pela variedade de experiências possíveis. A meu ver, e aos olhos de tantos outr@s, o BDSM e a exploração de Fetiches são as formas mais saudáveis de conhecer e trabalhar o nosso Dark Side (aquela parte do ser que muitos não sabem que não sabem). Diria que só assim será possível aprendermos a conviver connosco mesmos.

Naturalmente o Ser Humano é um animal de disrupção, interessado na boémia, no escapismo e na constante quebra de regras impostas pelas razões mais ridículas e egoístas (guiadas pelo seu ego mal cuidado). Neste estado é facilmente infetado pelo sentimento de Medo, tornando-o fácil de controlar e arrebanhar.
A habilidade natural que tenho, de ver “as borbulhas embaraçosas e pequenos defeitos” de todos é incontornável para mim. E por isso gosto de brincar com os caprichos e traumas de todos. Não querendo traumatizar mais os indivíduos que chegam às minhas mãos, faço uso do meu conhecimento e da minha capacidade natural para brincar com as situações trazendo-as ao ridículo. As reações de quem se submete à minha terapia, por vezes de choque, é completamente externa a mim. Mas confesso que adoro ver todas as reações corporais e faciais de cada um.

Tanto A/O Dominador@ como a/o submiss@ seja numa relação 24/7 ou numa relação pontual (relação ProDomme/sub) que os seus papéis são cruciais para que a mesma funcione. A Dominadora sabe que o seu papel restritivo tem como propósito o de corrigir e melhorar o comportamento do submisso. O submisso tem consciência de querer tornar-se um melhor ser humano (mais obediente ou qualquer que seja o motivo) e por isso reconhece a responsabilidade de comunicar à sua Domme as situações, sensações e pensamentos por que passa. Só assim a Dona pode agir sobre cada assunto da forma mais ajustada possível.

Ambas são posições de bastante responsabilidade e importância neste tipo de relação. Ambos terão de ter disciplina para cumprir o acordo e manter a honestidade a sinceridade com o mesmo. É com essa consciência que começa a viagem do Fetish ou Kink Consciente.

Esta (inter)ligação multidimensional existe entre os dois indivíduos e quando utilizada conscientemente, torna-se uma ferramenta incrível no processo de evolução de cada individuo.

Sub: How to submit my body to Mistress Isis? (updated August ’19)

First thing you must do is reading my contact rules. You’ll find the basic rules to address me in the first contact and the kinks I’m interested in.
I’m available to discuss other kinks and fetishes with my subs, to explore in sessions, if they’re accepted by me.

This first contact of introduction is mandatory, mostly to align the activities between us, and to let you know the meeting location and to get you informed about your tribute to me.

It is mandatory that you use the form in the contacts page to make the first contact. Even if you’ve bought my phone number at my store. You should always send me an email! I want to have a written record of your introduction as well as our discussions.

If you are accepted for a first session, you’ll be asked to pay half the tribute to book it.

The payment methods available are: Bank Transfer, MBway (MBway available if you have a Portuguese bank account, with variable taxes), ePayments app (variable fees). You will receive the details for the payment method you will use.

After the first half of your tribute is completed, I’ll send you the first kinky little homework I got just for you. This file includes your first online assignment to me, your Mistress. So you know you are already my slave. It will also includes all my rules, safe-words and other details for our session set by me.

The other half of your tribute is to be offered to me, at the beginning of our session. By having you submissive on your knees in front of your Goddess.

Where do sessions happen?

Needless to say that I live in Lisbon, Portugal. And most of my sessions happen right here. Although I love traveling and am always doing escapes around europe. Want me to travel to your place? Email me stating your intention in the first place.

I also give sessions at Almada / Setúbal, as well as Porto and Algarve. If you wish to have me in your city state your intentions. Travel costs and accommodation are always covered by my slaves.


In Lisbon, these are the major places for my sessions:

Hotel room: at Avenida da Liberdade, near Praça da Alegria. I’ll make the hotel booking.
We meet at Praça da Alegria and walk 1 minute to the hotel. More details about exact location will be given prior to our meeting.
You will pay the hotel room at the check-in (25 euros for 2 hours).
At the same square, you may want to try the Xrooms Motel. Although not as fancy as it looks, and usually there is not enough space to play in the smaller/cheaper rooms.

Dungeon: At Casa das Mascaras, near Shopping Center Colombo. Very well-known dungeon by the Lisbon BDSM community. It’s perfect for the lovers of dark and gloomy ambiance of a medieval dungeon. Underground floor, lit by candle light and with no mobile phone reception.
Dungeon bookings require prepayment, 24h prior, that must be included in the first half of the tribute (30 euros/1.30h; 50 euros/2.30h).
Bookings here still need approval for availability from the front desk.

Your place (apartment or hotel room): I love to be served at your place. I provide various activities related to maid service to further humiliate you. My conditions: must be located in the City of Lisbon. At Margem Sul only by taxi or uber ride. Other cities in Portugal will be possible if prearranjed. You should provide all the necessary means of transport (including return) within a previous 48 hours notice to me.

Any questions? Read again.
And send me an email.

XOXO
M. Isis

Sub: Como submeter o meu corpo à Mistress Isis? (atualizado Agosto ’19)

A primeira coisa que deves fazer, é ler a introdução às minhas sessões. Lá estão as Regras principais para contactar comigo e os kinks que me interessam maioritariamente. Estou disponível para discutir outros kinks, e fetiches que os meus subs tenham interesse em explorar, está sugeito a ser aceite previamente por mim.

O primeiro contacto é obrigatório para delinear os kinks de interesse entre ambos.
Serás informado dos locais de encontro e os valores das sessões.
Este contacto é feito obrigatoriamente por email, via formulário. Mesmo que compres o meu contacto telefónico, a marcação será feita por email – é um registo escrito do nosso programa que exijo. As mensagens voláteis de um telemóvel não são registo para mim.

Terás de fazer transferência da primeira metade do tributo para confirmar a marcação.
Esta pode ser feita por Transferência Bancária, MBway (taxas diferem) ou ePayments (taxas diferem). Ao escolher o método de pagamento, irei fornecer os dados de destinatário para cada um deles.

Após estarem concluídas estas etapas, irás receber um ficheiro que chamo o TPC #1. A tua primeira submissão a mim.
Este contém o teu primeiro TPC à Mistress, a tua entrega online. Assim como todas as regras, safewords e outros detalhes importantes para que as primeiras sessões funcionem de acordo com o meu agrado.

A metade restante do tributo é oferecida a Mim, no início da sessão, de joelhos à minha frente.

Os locais onde as sessões acontecem:

Quarto de Hotel: Localizado na Av. da Liberdade, perto da Praça da Alegria. A reserva é feita por mim. Mais detalhes são fornecidos antes do encontro.
O pagamento do quarto é feito no check-in (25€/2h).

A masmorra: localizada perto do Colombo, a masmorra da casa das máscaras já é conhecida pela comunidade em Lisboa. Perfeita para quem gosta do ambiente escuro e tenebroso de uma masmorra. Um piso underground à luz das velas. Sem rede. A experiência mórbida de uma masmorra medieval.
A reserva será feita por mim e o contacto tem de deve ser feito 48h antes.
O aluguer é pago previamente, em conjunto com o pagamento da primeira metade do tributo (30€/1h30; 50€/2h30).

O teu local, hotel ou apartamento: adoro ser servida no teu local e fazer dele meu. Há várias atividades relacionadas com as lidas da casa que gosto de usar.
A condição para estes locais: têm de ser localizados em Lisboa, na Margem-Sul só por viagens de uber ou taxi.
Estou disponível para qualquer outra localização no país e fora do país, o contacto deverá expressa-lo diretamente. Eu informarei todos os detalhes necessários para a viagem. O contacto deve ser tratado com o mínimo de 72h antes.

Dúvidas? Lê outra vez.
E envia-me um email.

XOXO
M. Isis

Online Domination ~ Dominação Online

~Em português abaixo~

I also provide chat services, using one of the apps mentioned below.
1. The sub must let me know about his intention on the chat/email first!
Otherwise I might not be available.
2. Pay me. Using one of the payment methods mentioned below.
3. Send a message confirming your payment method.

Tributes for chat:
30min – 30€
60min – 60€

For online video sessions, the same contact rules apply.

Tributes:
30min – 50€
60min – 100€

Payments through Paypal, ePayments & Bank Transfer.

Video calls are made through Whatsapp, Skype, Instagram or SnapChat.

~

Disponho de serviços de dominação através de Chat/SMS, em qualquer das apps mencionadas a baixo.
1. O sub deve mencionar a sua intenção no chat/email. E confirmar a minha disponibilidade.
2. Fazer o pagamento. Usando um dos métodos de pagamento mencionados a baixo.
3. Enviar o comprovativo do método de pagamento.

Tributos para chat:
30min – 30€
60min – 60€

Para as sessões de video online, as regras são as mesmas das sessões presenciais.

Tributos:
30min – 50€
60min – 100€

Os pagamentos são feitos por Paypal, MBway ou Transferência Bancária.

As video-chamadas são feitas em Whatsapp, Skype, Instagram ou Snapchat.

About Me

~ Português a baixo ~

As many of you, my subs and slaves, asked who is Mistress Isis outside her kinky boots, corsets and fishnets.

I decided to write a little about me and my interests. So I don’t have to answer the same questions again and again.

My posts are usually written in Portuguese, as it is my native language. Translation tool is available at the bottom of this page. Or to your left, depending on the device you’re using.


Olá subs.
Sou a Mistress Isis.
Sou jovem portuguesa, 25 anos e com um corpo naturalmente sensual. Sou uma mulher culta. Amo a arte da dominação feminina.
Muitos de vocês querem saber quem é a Mistress Isis para além do Latex e dos Corpetes. Get ready M#F*!

Na verdade, estou cansada de responder às mesmas questões e por isso, decidi escrever-vos um pouco sobre meu background.

~

Cresci em Portugal, com uma família bem típica portuguesa, nos 90’s. Sempre fui observadora e firme nas minhas vontades e opiniões. Chamo-me: crua e implacável. E ao mesmo tempo, um coração de Rainha misericordiosa que atenta aos seus subs.

Bem cedo comecei a explorar a minha sexualidade, e foi aí que descobri um véu negro. A sexualidade que me tinha sido incutida era uma farsa e um pleno tédio cheio de preceitos!

A minha busca começou. 


Muito cedo tive acesso à web e pude descobrir alguns dos meus primeiros interesses sexuais. Descobri as maravilhas de role play, long sexting, etc.

Cresci com Anime. E por isso a crescer fui ao encontro de videos Hentai (traduz-se “perverso” em japonês). Adoro fazer cosplay (ou roleplay).

!Para quem conhece algum termo: uma pesquisa muito rápida resolve a questão!

A escola: Fiz licenciatura em fotografia e artes plásticas. Onde cresceu a minha paixão por fotografia e onde descobri que era também um óptimo modelo! Durante os últimos anos de universidade fui modelo sexy de Webcamming. Onde descobri a minha paixão por teasing & denying. O facto de ser online, adiciona uma camada de Deusa intocável que eu adoro.

Nos últimos anos de universidade entrei no mundo do tantra. Onde comecei por fazer alguns workshops e formações. Práticas que utilizo e aperfeiçoou até hoje em conjunto com algumas vertentes BDSM.

As minhas paixões, desde a fotografia, os corpos despidos, o bondage e outras artes e filosofias, trouxeram-me até às minhas praticas actuais.


Nos dias de hoje, sou rainha adorada por muitos e temida por outros, nas terras da Ibéria e um pouco por todo o mundo.

Fora do lifestyle kinky e fetichista, não deixo de ser quem sou. Sou artista visual. O meu trabalho é sempre acordar e ser eu.

Sou uma pessoa calma, mas um ser crítico com tudo o que faço. Adoro questionar autoridade e humilha-la. E ironicamente, adoro ser a autoridade. Por isso sou eu quem manda nas minhas sessões, não há volta a dar.

Deixar subs na expectativa de algo que pode (ou não) acontecer, deixa-me molhada.

Da mesma forma que gosto de ser dona do meu nariz e de tudo o que é meu. Sou exigente comigo e exijo excelência também.
Adoro ser presenteada como uma Deusa pelos meus súbditos. As prendas materiais são fúteis provas de devoção que me deixam sentir o carinho dos meus subs.
Sinto o poder de ser quem sou e mostro-o sem pudor!

!!Atenção!!

Quero deixar bem claro que não há sexo (penetração), em qualquer momento ou circunstância, entre Mim e o sub!

Guarda essa vontade toda para quando estiveres sob o meu poder.

XOXO

BDSM & fetichismo.

Hello subs, slaves and sissys. My blog is in Portuguese. To read my posts use the translation tool in this page.

Existem muitos subs que neste momento têm receio, ou melhor, medo! De estar com uma Domme. A história é sempre muito parecida. No cérebro animal destinado, as experiências que cria alguma resistência nos subs na descoberta e experiência dos seus limites, de experimentar novas sensações e cantos mais obscuros da mente.

Por isso decidi propus a mim própria escrever uma série de artigos que virão a abordar o tema. Com o objetivo de impedir que o desconhecimento e a falta de informação continuem a ser ferramenta de manipulação.

Se existe desejo de ser manipulado, dessa ou de qualquer outra forma, é com cada um! Mas deveria ser uma escolha em conformidade entre ambas as partes. (É nisso que assenta o conceito SSC (São, Seguro e Consensual).

Para que percebam um pouco mais do meu historial e da forma como faço uso dos meus conhecimentos, para criar experiências conscientes, sensorialmente densas.

Adoro a evolução da relação entre o sub e a sua Domina. de e claro resultados positivos.

Tenho formação de tantra.
E considero ambas, abordagens diferentes para a integração de traumas, disfunções (e o puro sentido do fetish), repressões utilizando a mesma energia sexual, de formas distintas e variadas.

Ambas podem ser usadas como ferramentas para uma maior auto-compreensão. Quando falo de auto-conhecimento, falo do submisso, e da Dominadora. Não há duas pessoas iguais, e por isso, também não há duas relações totalmente iguais. Mesmo não alterando a relação Domme/sub. Que existe SEMPRE como base das minhas sessões.

O respeito, a subserviência necessária não é algo que muito egos consigam propor-se a fazer sem pensar nas consequências destrutivas dele mesmo. Por isso também sou seleta nas pessoas que aceito como submiss@s.

O submisso, ao ser submetido às vontades de uma Dominadora, tem a oportunidade de (re)conhecer, aceitar e se permitir tirar todo o prazer de todos os fetishes ou taboos do dito cujo.
Como dominadora de todas as bestas, para além de adorar provocar, de deixar os subs e slaves loucos por mim… Adoro ver olhares de carneiro mal morto, aquele que não sabe o que se vai passar a seguir. O olhar de surpresa! Os olhares assustados com o que poderá sair da minha mala de brinquedos… Os gritos e os gemidos de todo o género agradam-me profundamente.

Eu proveito sempre para desfrutar do momento para me divertir! A não ser que o caso seja sério, aí a brincadeira muda.

Durante as minhas sessões, se houver realmente abertura do submisso, este pode vir a confrontar-se com alguns temas aos quais é mais sensível, ou o que alguns chamam “o seu limite”. Com a minha experiência, sei que estes limites são realmente as chaves que nos fazem avançar e conhecer-nos melhor. E que sempre que esticamos os nossos limites, vamos um pouco mais longe.
A vossa Rainha sabe que nem sempre é fácil fazer o processo de integração sózinho, e por isso também estou disponível para o fazer, no final de cada sessão.

Para mim o bdsm é como aquela parte de nós que muitos teimam em ignorar, em não se permitirem a oportunidade de experienciar algo mais “negro” de si mesmos.

Para os subs que não percebem patavina do que falo, aconcelho alguma leitura, ou até um vídeo do YouTube, sobre A sombra/The Shadow, por Carl Jung. Talvez conseguirão compreender um pouco melhor o conceito. Embora tudo o que falo vem com vários anos de pesquisas de várias fontes e práticas.

A Mistress Isis diz:
O processo de integração de nós mesmos é do mais forte masoquismo que há. (…)suspense(…) 😬

Para os que realmente tem interesse em fazer esse processo de integração da sua Sombra comigo, deverão enviar um email para mim. Expliquem-me a vossa história com o vosso desenvolvimento, ou se é a primeira vez – qual o objectivo o principal que te leva a querer iniciar esse processo.


(…) to be continued (…)